U
N
I
T
A
GRUPO PARLAMENTAR
Deputadas (os) Historia Album foto Estatutos Musica Projecto Vídeos
“Um regime democrático não prende Jornalistas por delito de Opinião”
Defendeu o Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Liberty Chiyaka, no pretérito dia 27 de Abril de 2021, no Complexo Sovsmo, em Viana, durante a conferência de imprensa realizada pelo seu Grupo, onde dentre outros assuntos passou em revista a situação actual e os acontecimentos recentes que marcaram o País, tendo também se realçado com maior relevância sobre a crise de legitimidade e a qualidade da democracia em Angola.

Na sua comunicação, o Líder Parlamentar expós que, “Angola vive uma grave crise de legitimidade do Poder Executivo, que decorre da falta de cumprimento dos compromissos assumidos com os angolanos durante a campanha eleitoral de 2017”.

“Angola vive uma grave crise de confiança política nas instituições do Estado, acentuada por uma extraordinária crise de confiança social e consequentemente existe uma percepção geral que os poderes públicos não atendem as necessidades básicas dos cidadãos”, reforçou.

Para Liberty Chiyaka que presidia ao encontro, “tal situação agravou-se como revelam os movimentos de contestação social, durante o ano de 2020, quando jovens saíram às ruas e muito recentemente as manifestações de estudantes, as ameaças de greves de professores, outros profissionais. O poder emana do povo e o seu exercício só se justifica quando recebe a aprovação do soberano, falamos da legitimidade democrática, o contrário não é aceitável”, disse.

Sobre a qualidade da democracia em Angola Liberty Chiyaka afirmou.

“Sobre a qualidade da democracia em Angola, o Estado democrático é essencialmente um estado de direito. A democracia concretiza-se pelo sufrágio universal, em eleições livres, competitivas, regulares e periódicas; competição justa entre vários partidos, fontes alternativas de informação credível, liberdade e igualdade política e a possibilidade de alternância do poder político”.

O responsável afirma ainda que, “Um regime democrático não assassina os seus filhos, não prende jornalistas por delito de opinião, não encerra serviços de rádio e televisão que são considerados hostis à governação, colocando cerca de 2000 postos de emprego em risco por caprichos político-partidários do líder do partido governante”.

“Um regime democrático pressupõe boa governação e esta satisfaz as expectativas dos cidadãos, responde às necessidades dos cidadãos, assegura os direitos civis e políticos do povo, permite a existência de mecanismos de participação política, disponibilizando recursos para os partidos no sentido do controlo do governo e responsabilização dos seus actos que configurem gestão danosa e ou ilícita”, realçou o Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA.
Ler mais
Todas notícias
©  Copyright 2013
Todos os direitos reservados Grupo parlamentar (UNITA)
Quinta-feira, 06 de Maio de 2021